Latin America and Caribbean

Por favor note que o conteúdo arquivado podem incluir detalhes ou links que são outdated ou já não precisa.

Incorporação de práticas do RDA ao WorldCat

Um artigo de discussão

Premissas

Este artigo de discussão pressupõe que a comunidade bibliotecária segue adiante com a implementação do RDA: Resource Description and Access, uma implementação que prevista para ocorrer a partir de 1º de janeiro de 2013. O artigo propõe várias políticas que podem ser implementadas e ações que podem ser realizadas como parte da incorporação de práticas do RDA mais completamente no WorldCat. Ele também tenta balancear os papéis duplos do WorldCat como catálogo e como repositório de dados bibliográficos.

Inicialmente, essas políticas propostas e ações se concentram principalmente em registros de catalogação no idioma inglês criados e mantidos on-line por bibliotecas membro da OCLC. Conforme traduções do RDA forem disponibilizadas e bibliotecas nacionais além da comunidade anglo-americana tornarem públicas suas decisões de política, a OCLC expandirá essas declarações de política e planos de ação.

O artigo está sendo disponibilizado para as bibliotecas-membro da OCLC comentarem sobre essas políticas e ações em potencial. Por favor, envie comentários para rdapolicy@oclc.org até 15 de abril de 2012.

Introdução

Após a adoção formal do RDA: Resource Description and Access pelas três bibliotecas nacionais dos EUA, várias bibliotecas começarão a criar apenas registros do RDA. Isso levanta a questão de como lidar melhor com todos os registros existentes ou antigos encontrados no WorldCat e que foram criados sob regras antigas.

Registros antigos precisam se tornar tão funcionais quanto possível no futuro ambiente do RDA, de forma a beneficiar o maior número possível de catalogadores e usuários finais de catálogos. Este artigo descreve uma proposta de política para chegar a esse objetivo.

Histórico

Na transição das Regras de Catalogação Anglo-Americanas (AACR) para as Regras de Catalogação Anglo-Americanas, 2a edição (AACR2) em janeiro de 1981, esses mesmos tipos de problemas também existiam. Na época, muitos catálogos se baseavam em cartões e as alterações eram caras e difíceis de fazer. Portanto, as alterações se limitaram essencialmente à atualização de cabeçalhos. A recatalogação era possível, mas não foi necessariamente estimulada.

Com o passar do tempo, a prática se tornou mais liberal em relação à inclusão de dados construídos de acordo com AACR2 em registros anteriores a AACR2. Por exemplo, tornou-se rotina clonar uma versão impressa de registro ao catalogar microfilmes e depois adicionar uma observação de reprodução com seus detalhes bibliográficos formulada de acordo com AACR2 enquanto o registro em si não é alterado para AACR2.

Economia e eficiência

Alguns catalogadores perguntaram se seria mais fácil ou preferível reter todos os dados como estavam em registros antes do RDA. Isso incluiria também a correção ou atualização de registros de acordo com as regras sob as quais esses itens foram catalogados. Fazer isso exige que catalogadores e a equipe da OCLC retenham conhecimento detalhado das regras antigas e práticas anteriores para aplicá-las a registros anteriores ao RDA quando adições ou alterações forem necessários. Conforme novos membros de equipe começassem a trabalhar em catalogação, precisariam estar treinados tanto nas regras atuais quanto nas antigas. Seria mais eficiente se a equipe se concentrasse em aprender um único padrão, o RDA.

A OCLC utiliza macros e outros softwares para manter os registros bibliográficos encontrados do WorldCat. Para reter dados intactos catalogados de acordo com regras antigas, os programas precisam de lógica adicional e mais código para tratar vários registros de forma diferente. Por exemplo, em 300 $a, um programa precisaria corrigir p. para páginas em um registro do RDA, mas corrigir páginas para p. em um registro AACR2. Parece não haver muita vantagem em ajustar os mesmos tipos de dados para dois formatos diferentes.

O programa DDR (Duplicate Detection and Resolution) da OCLC já considera as diversas variações em que as mesmas informações podem ser expressadas em registros bibliográficos. Entretanto, a correspondência de registros é mais eficiente sempre que os dados bibliográficos nos registros comparados são expressos do mesmo modo. A uniformidade dos dados facilita o processamento automatizado.

O usuário final do catálogo normalmente não sabe e não liga para quais regras de catalogação foram utilizadas na criação dos registros bibliográficos. O usuário final precisa receber os dados que podem ser lidos facilmente e interpretados corretamente. Para tanto, o uso de formas por extenso no RDA remove as ambiguidades ou a confusão criadas pelo uso de abreviações. De modo similar, o uso de termos do idioma inglês no RDA em vez dos termos latinos utilizados em regras mais antigas remove ambiguidades. Por exemplo, [ Place of publication not identified] (Local de publicação não identificado) é mais claro para usuários finais do que [ S.l.] ou [ N.p.].

Proposta de política de catalogação futura para contribuição de membros ao WorldCat após a implementação do RDA

  • Os catalogadores não serão obrigados a atualizar os registros existentes para o RDA.
  • Os catalogadores podem recatalogar os itens de acordo com o RDA se considerarem isso útil. Essa recatalogação deve ser realizada apenas com acesso ao item. Todos os campos descritivos precisariam ser reconsiderados e revisados para ficarem em conformidade com as instruções do RDA. Em seguida, o registro revisado seria alterado para Desc (Leader/18) com código c ou i conforme adequado com 040 $e rda adicionado.
  • Os catalogadores podem atualizar campos individuais em registros anteriores ao RDA para refletir as práticas do RDA se isso for considerado útil. Os campos que envolvem a transcrição de dados exigem acesso ao item para alterar os dados transcritos. O registro parcialmente alterado reteria a indicação das regras nas quais foi inicialmente catalogado, ou seja, não seriam feitas alterações na codificação de Desc (Leader/18) e 040 $e não seria adicionado nem alterado.
  • Catalogadores devem utilizar pontos de acesso conforme estabelecido no catálogo de autoridade, estejam esses formatos codificados como RDA ou AACR2.

Alteração de registros pré-RDA

As alterações específicas incluem:

Tipos de conteúdo, mídia e portador

Os campos 336, 337 e 338 permitem o registro de tipos de conteúdo, mídia e portador utilizando terminologia controlada. Isso pode ser usado para acionar a exibição de ícones ou etiquetas utilizando os mesmos termos ou termos alternativos. Caso esses dados sejam utilizados em catálogos, é necessário que estejam em todos os registros, não apenas nos novos registros criados de acordo com o RDA. A OCLC desenvolverá uma programação para adicionar esses campos sempre que possível. No entanto, catalogadores também podem adicionar esses campos sempre que isso for considerado útil.

Designações de materiais gerais

O campo 245 $h não seria mais inserido de acordo com o RDA e os catalogadores que utilizam uma cópia não podem confiar que ele aparecerá nos registros. Algumas bibliotecas foram muito criativas com a terminologia utilizada em 245 $h e a equipe da OCLC atualmente tempo gasta tempo identificando e corrigindo GMDs inválidos. Em vez de continuar a corrigir GMDs, o que iria rapidamente se tornar inútil, seria melhor eliminá-los completamente ao substituí-los por dados nos campos 336, 337 e 338. Os catalogadores também podem remover Designações de materiais gerais sempre que fornecerem os campos 336, 337 e 338.

Pontos de acesso

Pontos de acesso adicionais necessários de acordo com o RDA podem ser adicionados a registros antigos. Pontos de acesso adicionais não precisam estar representados em nenhuma observação ou certificado de responsabilidade existente.

Certificados de responsabilidade

Os catalogadores também podem revisar certificados de responsabilidade em registros antigos para registrar nomes adicionar opcionalmente necessários de acordo com as instruções do RDA.

Abreviações no idioma da agência de catalogação

Abreviações de elementos não transcritos podem ser convertidas em formas por extenso. No campo 300 da catalogação com base no idioma inglês, por exemplo, os usuários finais teriam mais facilidade visualizando ilustrações versus ill. ou illus., retratos versus ports., volumes versus v., etc.

Abreviações latinas

Abreviações latinas podem ser convertidas em sua forma por extenso em idioma não latino. Por exemplo, na catalogação como base no idioma inglês, usuários finais teriam mais facilidade visualizando [ and others] versus … [ et al.], [ publisher not identified] versus [ s.n.], approximately versus ca., etc.

Colchetes

A prática relacionada à inserção de colchetes muda no RDA, de forma que elementos individuais sejam colocados separadamente entre colchetes e não combinados com elementos adjacentes entre colchetes, por exemplo, 260 [S.l. : $b s.n., $c 1960?] seria formulado como 260 [Place of publication not identified]: $b [publisher not identified], $c [1960?]. A prática do RDA para inserção de colchetes pode ser utilizada ao trabalhar com registros não RDA.

Registros paralelos

Alterações com base no RDA podem ser feitas em registros catalogados em inglês, assim como em outros idiomas de catalogação, conforme codificado em 040 $b, contanto que o idioma de catalogação seja retido e respeitado.

Alterações futuras da OCLC

A OCLC prevê a realização potencial de alterações abrangentes em registros existentes no WorldCat, incluindo várias das descritas acima. Tais esforços seriam orientados para reduzir a necessidade de que catalogadores realizassem alterações similares, bem como para tornar os registros mais úteis no ambiente do RDA. Essa atividade complementaria outros esforços de qualidade de dados, como controle de autoridade, detecção de itens duplicados, etc.

Retenção de alterações em registros existentes

Assim que um elemento individual em um registro antigo for alterado para refletir uma prática do RDA, ele não deve ser alterado de volta para uma forma anterior ao RDA, mesmo que o registro ainda esteja codificado com base em AACR2 ou regras mais antigas. Ao realizar a catalogação copiada, os catalogadores podem editar localmente esses elementos para refletir regras antigas, mas o registro-mestre não deve ser alterado.

Comentários

A OCLC incentiva seus comentários sobre essas políticas e ações em potencial. Além disso, suas opiniões sobre quaisquer outras políticas possíveis relacionadas a registros bibliográficos e ao RDA também são bem-vindas. Por favor, envie comentários para rdapolicy@oclc.org até 15 de abril de 2012. As decisões de política com relação ao RDA para a OCLC, com base nos comentários de membros, serão anunciadas pelo menos 3 meses antes da implementação do RDA.